As melhores estratégias para a prevenção do câncer

Mensagens de saúde podem ser muito confusas. A indústria tem um grande papel nisso pois precisa vender em um mercado competitivo e acaba soltando mensagens como "coca-cola faz bem em pequena quantidade". O problema é que, de forma geral, a população está comendo cada vez mais alimentos industrializados, comendo cada vez mais fora de casa e se exercitando cada vez menos. E os estudos são unânimes ao mostrar que este estilo de vida aumenta a chance de desenvolvimento de uma série de doenças, inclusive certos tipos de câncer

O básico da alimentação não é controverso e essas recomendações nunca mudam: consuma (pelo menos) 5 porções de frutas e verduras ao dia, troque cereais refinados pelos integrais e diminua açúcar e alimentos ultra processados.

Outras estratégias importantes para a prevenção do câncer são fazer pelo menos 30 minutos de atividade física ao dia, não fumar, e moderar no consumo de bebidas alcoólicas.

Yoga, meditação e eu

Fiz minha primeira aula de yoga quando engravidei, há quase 20 anos. Foi um amor instantâneo. Foram 9 meses maravilhosos, substituídos pela chegada de uma bebê muito amada. 

Só voltei a uma sala de yoga 10 anos depois. Ao chegar me senti em casa, achei tudo muito fácil, tudo muito natural. Parecia que meu corpo não havia esquecido nenhum ásana (postura corporal). Até a chegada do "momento da meditação". Impossível: meus pensamentos pulavam de um lado para o outro, meu corpo se mexia, meus olhos se abriam. 

Na aula seguinte, voltava à sala feliz. Era tudo tão bom! Estava muito orgulhosa de mim mesma (que anti-yogini) até que fui “promovida” para uma turma intermediária. Não só descobri que achava a meditação incrivelmente difícil mas todas as posturas também. 

Só que há uma coisa interessante com a prática de yoga e meditação. Vamos aprendendo a nos aceitar, vamos nos conhecendo melhor, nos julgamos menos. Passei muitos anos “praticando” e depois precisei novamente me afastar. Mas nesse momento uma coisa aconteceu, minha prática já era parte de mim. Não precisava ir à escola para meditar. Para me aprofundar, anos atrás participei da formação de instrutores da Ceres Moura, o que serviu para sedimentar ainda mais estes conhecimentos e a vontade de crescer e de me tornar um ser humano melhor em todos os sentidos. 

A vida muda constantemente e vamos nos adaptando. Hoje estou morando em Boston, terminando meu doutorado sanduíche em Harvard. Quando cheguei aqui procurei escolas de yoga mas acabei optando por praticar em casa. O yoga me acompanhou durante todos esses meses e me ajudou a relaxar, a lidar com o estresse, a dormir bem…

Às vezes pratico por apenas 10 minutos, às vezes por 2 horas. Aprendi a ouvir o que meu corpo e minha mente precisam a cada dia. Quando falta inspiração, busco algum vídeo de yoga no YouTube ou no site Gaiam. Os vídeos são muito democráticos, yoga de todos os estilos, para todos os níveis. Praticar em casa é ótimo, você adapta a prática como quer, fecha os olhos e vai. Sua idade, sua condição física e suas roupas não importam.

Para mim é uma escolha, uma forma de me presentear. É um momento só meu em que faço algo que me faz bem. Sempre, invariavelmente, estou me sentindo melhor ao final em relação ao início. Poderia também relaxar tomando uma taça de vinho ou comendo chocolates. Às vezes acontece, por quê não? Mas o resultado final não costuma ser o mesmo...

Se você já faz yoga compartilhe sua experiência. Se ainda não experimentou te convido a tentar. Se já fez e não gostou, talvez não estivesse no momento certo, na sala certa, com o professor certo, no método mais adequado a você. Tente de novo e me conte como foi.

Bom domingo!

As caminhadas na minha vida

Caminhadas possuem muitos benefícios: melhoram a circulação, reduzem o risco de osteoporose, aumentam a sensação de bem estar, contribuem para a manutenção do peso... 

Eu comecei a caminhar aos 15 anos. Não sei como "descobri" esse exercício, mas desde que comecei nunca mais parei. Já entrei na academia umas 600 vezes. E já fiz Karatê, pilates, dança de salão, natação, hidroginástica, escalada, vela, windsurf, corrida... Tudo muito bom, mas a caminhada sim permanece firme e forte há  25 anos.

Só tenho uma explicação para isso: não gosto de esportes competitivos, até porque sou muito competitiva. E sou péssima em esportes. E fico brava quando perco. Mas na caminhada sou ótima! Não só consigo colocar um pé na frente do outro milhares de vezes sem errar, como sou multitask. Andando penso na vida, respiro, olho as árvores, o céu e as pessoas, além de resolver todos os problemas do mundo. Consigo caminhar com qualquer tipo de roupa, com vários tipos de sapatos, em qualquer terreno. Sozinha, com o cachorro ou com amigos. Sou muito, muito boa!

Às vezes tomo café da manhã antes de caminhar, às vezes só como uma banana, às vezes não como nada. E meu corpo aceita feliz todas essas opções. A única coisa que ele não aceita é ficar sem água, bebo antes durante e depois. E se estiver em Brasília bebo muita água antes, muita água durante e muita água depois. Mas às vezes volto correndo porque minha bexiga é pequena.

Amanhã falo da meditação e yoga na minha vida. Bom final de semana!

Sexta-feira: seu dia de drinks?

Amo tomar um vinho aqui em Boston quando chega o final de semana. E no Brasil adoro dividir uma cerveja com os amigos. O consumo exagerado de álcool é um problema de saúde pública. Aumenta o risco de vários tipos de câncer, aumenta o risco de acidentes e violência. Mas esse não é o caso. Não gosto de beber muito. Uma taça de vinho ou uma lata de cerveja e já estou feliz. E tem mais: pode ser saudável!

Metanálise com 84 artigos mostrou que o consumo moderado (nas quantidades abaixo) pode ajudar a aumentar o HDL-c ("colesterol bom") e reduzir o risco de doenças cardiovasculares.

Mas se você não bebe continue assim! O álcool possui mais malefícios do que benefícios. Também não encoraje seus filhos, amigos ou clientes a beberem. Não temos como saber que relação as pessoas desenvolverão com o álcool.

Há, e se você está de dieta tenha cuidado com os coquetéis. A tabela aí em cima mostra o valor calórico de algumas bebidas. Para ter ideia do que significam, compare com alguns sanduíches do McDonalds:

Legenda: %VD = percentual do valor diário %VD significa a proporção em que determinado alimento ou bebida atende às suas necessidades energéticas diárias. Por exemplo, o sanduíche Big Tasty fornece 42% das calorias que a maioria das pessoas precisa em um único dia.

Legenda: %VD = percentual do valor diário

%VD significa a proporção em que determinado alimento ou bebida atende às suas necessidades energéticas diárias. Por exemplo, o sanduíche Big Tasty fornece 42% das calorias que a maioria das pessoas precisa em um único dia.